jusbrasil.com.br
13 de Novembro de 2018

Projeto prevê sanções para desordem de passageiros durante voo

Sanções incluem imobilização de passageiro, multa e proibição de embarcar durante um ano.

Câmara dos Deputados
Publicado por Câmara dos Deputados
há 2 anos

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6932/17, do deputado Marcos Soares (DEM-RJ), que prevê sanções para quem comprometa a boa ordem, a disciplina ou ponha em risco a segurança da aeronave ou das pessoas e bens a bordo.

A proposta altera o Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 7.565/86), prevendo a possibilidade de imobilização de passageiro que comprometa a boa ordem. Hoje o código já prevê que esse passageiro seja desembarcado.

Além disso, o projeto tipifica as condutas que caracterizariam comprometimento da boa ordem, da disciplina ou da segurança da aeronave ou das pessoas e bens a bordo, incluindo: embarcar alcoolizado ou sob efeito de entorpecente; ameaçar, intimidar ou agredir membro da tripulação ou passageiro; cometer assédio sexual a membro da tripulação, a passageiro ou molestar criança; fumar; operar aparelho eletrônico cuja operação seja proibida a bordo; causar tumulto; não seguir a orientação dos tripulantes em relação à segurança do voo.

Conforme o projeto, essas condutas, entre outras previstas no texto, serão registradas no Diário de Bordo e sujeitarão o passageiro a procedimento administrativo conduzido pela autoridade aeronáutica. As sanções administrativas previstas incluem multa; e o impedimento de embarque em aeronave que preste serviço de transporte aéreo público doméstico por até um ano.

Casos de desordem

Segundo o deputado Marcos Soares, dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo mostram que as empresas de transporte aéreo registraram mais de 49 mil casos em que o passageiro não observou regras ou padrão de conduta adequada nos aviões, entre 2007 e 2015.

“Em vista disso, a comunidade internacional, reunida no âmbito da Organização de Aviação Civil Internacional (agência da ONU), vem trabalhando para que os países incorporem à sua legislação dispositivos que sejam capazes de prevenir e punir as condutas irregulares a bordo”, afirma.

Tramitação

A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

  • PL-6932/2017

Reportagem – Lara Haje

Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)